segunda-feira, 21 de março de 2011

Anjo de Concreto...

Sentado em mais um meio-fio, entre tantos meios-fios dessa meio-cidade, meio- hospício, meio-prisão, meio-convento e meio puteiro...

Entre um soar e outro de sirene, entre um e outro disparo de fuzil, entre uma e outra vida que se dispede, o menino pergunta a Deus...

"Quando o vento bate no rosto... é porque ele quer conversar?


Nenhum comentário:

Postar um comentário