sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Malmequer do campo.


No coração da mocidade
transformei em jardim minha cidade.

Reservei ali um canto
plantei meu malmequer do campo.

Olha isso meu deuzinho, que ironia!
Não é que meu malmequer não me queria?

De versinho em versinho, fiz canção.
Até conseguir desse malmequer toda atenção.

Pudera criar-te com tanto amor.
Malmequer querida chega de sentir tanta dor.

Quisera eu plantar malmequer,
contento-me hoje em desejar-te mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário