quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Noturna.



Feliz é a mariposa.
Fez da borboleta sua esposa.

Dançaram a luz da Lua,
fizeram rasantes pela rua.

Celebraram sua união
com muito vinho e pão.

Viu crescer seu filhote
encasulado na luz do poste.

Fechou suas asas e poesia,
num belo voo de utopia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário