quinta-feira, 7 de março de 2013

Amar(go)



Não é certo
Não é bonito
Mas assim o foi escolhido.

Abri a janela que tanto olhava
Descobri que só seus olhos conseguem ver girassóis
onde só me vi a sós.

Qual o motivo dessa falta?
Quem volta sozinho ao som da flauta
sabe que é o flautista
o malvado do flautista
Flagelo da Conquista.

Assim acredito
assim é mais fácil acreditar
se é que há crédito em meu creditar.

O pecado proferido foi ver beleza onde não deveria
em teoria
quem me julgaria?

Perdi para um esplêndido adversário
Deixou-me com cara de otário
Passou contigo mais de um aniversário.

Ah, querida.
Aceitou-me em tua vida!
Entendeu o bonito da ferida
Proibida
Indevida
Novamente querida.

Besta...

Para de maltratar meu coração.
Um osso ao cachorro velho nunca oferecerão
Um amor ao poeta chorão.
Uma comédia ao palhaço fujão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário