sábado, 31 de agosto de 2013

Bigode cheiroso.


O cheiro da sua xana está impregnado no meu bigode,
não consigo dormir 
com isso me atormentando.

Caralho,
faz meses que não boto meu bigode no meio de suas pernas!
Resolveu se esfregar na minha cara a distância, é?

Se vier,
traga cerveja, ok?
Ou chocolate,
da quase na mesma,
só o cheiro do bigode é que muda.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Putinha VII


A chuva lava o telhado do Bordel da Boa Esperança.

Chove mesmo. 
Chove que é bom.

É Deus limpando com lágrima
todo o pecado que a gente faz com sêmen.

"Hoje nos somos iguais, Deus.
Como as boas putinhas que somos
choramos, choramos e choramos."

Só sei amar as loiras.


Será que essa loira não percebe o quanto a amo?
Que fico louco longe dela e fico louco junto a ela?

Será que essa loirinha não se toca?
Quanto mais fria comigo
mais comento com meu amigo
Eita loirinha danada pra mexer com a cabeça de um poeta.

Ah, loira das curvas bem definidas!

Suada, suada nos dias quentes
levada, levada das mãos aos dentes!

Diabo de pescocinho com colarinho branco
Loirinha filha do diabo com o campo
Descalça, de chinelos e há quem te aprecie de tamanco.

Garçom: Traga uma camisinha!
Vou querer bem gelada minha cervejinha!

sábado, 24 de agosto de 2013

Porque me pergunta o que deve fazer se já vem pré-disposta a não fazer o que eu sugerir?

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

De um Gentleman a uma Piranha aleatória.


As vezes,
mas apenas as vezes.

Quase sinto saudades dessa sua boca gelada
e dessa língua pontuda
tentando tirar algo de dentro de mim,
enquanto eu calmamente
procuro algo nesse teu quarto tão usado
com uma intrigante luz por entre os vãos da telha.

Mas minha querida amiga.
Você quebrou meu coração,
por muito menos eu já teria quebrado o seu nariz.

Então eu escarro com nojo teu nome
limpo a boca com conhaque
e tudo bem,
sua piranha estúpida.

domingo, 18 de agosto de 2013

El mañana.





Recuerda ese día?
Dejamos atrás un hermoso amanecer.

Estrellas vuelven
Gire planetas
Ray, la estrella y la luna
Bien vintagge mismo.

En sol frío en Santiago de Compostela
Juró por lo menos
la promesa eterna
Siempre para siempre.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

We all are creeps.


Partindo da mesma merda de pressuposto
somos vermes no fundo de um poço,
Roendo suas entranhas lambendo até o osso.

"I'm a creep
i'm a weirdo"

Fora do padrão
pequenas filhas da solidão
Vida sem padrão, patrão ou perdão.

"What the hell i'm doing here?"

Percebi
o verme é o que mais sorry.

"I don't belong here"
Nem eu, querido Thom. Nem eu.