sábado, 12 de outubro de 2013

Sobre Deuses, Senhoras e Ruas do Conquista.

- Vai descer a rua, meu filho?

Dizia a senhora ao lado do carro de policia, após ser rejeitada pelos incompetentes fardados que pelo visto não entendem que "servir e proteger" significa algo como "servir e proteger".

-Vou sim, senhora. Estou indo para o Conquista. Quer companhia? 
-Foi Deus que te mandou, não sabia como desceria essa rua, ela é tão perigosa essa hora.

Como é que vou dizer isso? Sou ateu, tenho depressão e fiquei bêbado tentando transar com minha amiguinha, mas pelo visto ela vai ter uma noite bem mais divertida que a minha.

-Amém. Esse trecho ficou bem ruim depois do Rodoanel. Vai até o viaduto?
-Não. Eu moro a duas quadras da escola, inclusive estou vendo minha filha no portão.
Deus te proteja, meu filho. Tenha um bom fim de semana.

Acho que o Deus dos bêbados gosta da senhora, mas foi uma coisa boa afinal.
O que me intriga é que no exato momento em que a deixei sã e salva em seu portão, um cachorro vira-latas começou a andar do meu lado.

-Quer uma carona também, meu parceiro?

E assim fomos conversando a respeito de mulheres e cadelas, ossos e cervejas até a porta da minha casa.

-Bem... Se o Deus dos bêbados gosta de senhoras, o Deus dos Cachorros parece gostar de bêbados. Meu novo amigo, espero que o Deus dos caminhões não goste de cachorros. Tenha uma boa noite.



Nenhum comentário:

Postar um comentário